INFERNO,JÁ!

Vamos pedir uma música ao DJ!

@Sátira

Amigos… Está na altura de abordar esta temática que faz parte da vida de qualquer gentil pessoa que se digne a sair à noite… Aquela loucura de ir sair à noite com amigas, a brutalidade do jantar seguido de uma memorável noite de copos… Não é memorável. Na vida real só algumas se lembram de momentos que aconteceram. Para o bem da humanidade o nosso cérebro faz um aparente “reset” das tristes figuras a que nos propusemos umas horas antes (se bem que eu não compreendo este tipo de acontecimento… O meu cérebro não apaga nada! Nadinha! Faz questão de me lembrar, de forma dolorosa, das ocorrências anteriores. Óh sorte…).

Dado que, normalmente, me recordo dos factos que acontecem durante estes eventos, tenho a memória recheada de “takes”, como no cinema, de momentos incríveis e vergonhosos.

Existe, quase sempre, um momento que me impressiona…. Aquele em que incansavelmente as senhoras, visivelmente alteradas, tentam controlar a mesa do DJ.

Quem nunca viu?

Aqueles decotes a insurgirem em frente aos olhos do “pobre coitado” que tenta focar-se no seu MAC e passar uma playlist fabricada em casa?

E como se não bastasse elas saltam!! Insistem que querem ouvir aquela kizombada com tanto significado! Ou aquela música que faz com que o grupo de amigas se junte em círculo à velocidade da luz. As faz apontar umas para as outras ao estilo “Percebeste?”, “Amor(e) esta é para ti!!!”. Pedem aquela música que por norma não encaixa em nada com a playlist escolhida pelo DJ. E, no entanto, elas não desistem. Saltam, pulam, inclinam-se sobre a mesa do moço, maminhas com liberdade para se separarem e partirem para uma forma qualquer de agressão ao “moce” que tenta somente… trabalhar.

Toda uma inclinação de noventa graus sobre a ferramenta de trabalho do pobre que vai conseguindo afastar todo aquele mulherio com ar de guerreiras de Atenas com um “já ponho, a seguir a esta”. Isto apenas o faz ganhar uns segundos. Esta tentativa de fuga não passa de nada mais do que isso… Uma tentativa.

Mal as guerreiras se apercebem que mudou a música mas não é aquela que elas pediram rodam a cabeça, qual exorcista, e lançam um olhar fulminante ao pobre trabalhador, que por esta altura evita a todo o custo o contacto visual. É verdade… Teme pela própria vida!

Normalmente este tipo de situação acaba com o DJ a colocar a música ou a passar-se de vez e dizer um “Não posso pá!” e com elas imensamente chateadas e a lançar maldições super poderosas ao Senhor!

Pobre coitado… E pobre de mim que tenho que me recordar destas coisas. Felizmente só não me lembro se alguma vez fiz o mesmo ou não… (carinha a piscar o olho).

See you around,

Pandoritah

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s